sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

-A Era Dourada da Bruxaria

A "Nova Ordem Mundial" existe, segundo a crença das Bruxas? 

Depende do que se busca expressar com o termo "Nova Ordem Mundial". As pessoas buscam expressar diversas concepções com a denominação de "Nova Ordem Mundial", algumas reais e relevantes, outras fantasiosas e fúteis. Se, com "Nova Ordem Mundial", nos referimos, como originalmente, à uma nova era mundial, bem como a nova era astrológica ou astronômica vindoura, que será a Era de Aquário, onde não haverá mais necessidade do governo externo que promove a tirania, mas, o desejo do comando interno em agir conforme o comando superior da ordem cósmica e divina, visto que o novo pensamento buscará extinguir a subordinação ao imperialismo político e à autoridade rígida de um dogmatismo externo e supersticioso promovido pelas religiões dominantes e de massa, como é o caso do Cristianismo eclesiástico e do Judaísmo; sim, neste caso, as Bruxas acreditam nisso e aguardam para ver este júbilo de harmonia e pacifismo se manifestar, considerando que o final da Era de Peixes e o início da Era de Aquário ou Cocheiro as Bruxas celebrarão os treze mil anos da Fundação da Bruxaria na terra. Entretanto, se, com "Nova Ordem Mundial", nos referimos à uma tirania de um governo mundial marginalista e corrupto, que visa a dominação e o controle das pessoas e da população mundial em geral; não, as Bruxas não acreditam nestas falácias, até porque um governo corrupto sempre existiu paralelamente e, caso tal abominação fosse instaurada, com certeza as Bruxas e Iniciados seriam uma das primeiras pessoas a reivindicar a derrubada desta e de qualquer outra injustiça semelhante. A própria tradição bíblica do Cristianismo, e principalmente a Igreja Católica, afirmam que uma espécie de "nova ordem mundial" seria estabelecida, segundo esta religião, pelos governantes que surgiriam para implantar a chamada "Marca da Besta" às pessoas do mundo; porém, em uma compreensão mais profunda, trata-se de uma parábola à expressão da brutalidade e do ego inferior, o que, em analogia, tais lendas bíblicas aparentam ter semelhança com as Guerras Nazistas promovidas por Adolf Hitler (reencarnação do corrupto rei germânico-alano Attila) na Alemanha, cujos cidadãos e residentes foram obrigados à usar crachás ou selos físicos de identificação ao grupo que pertencia e que, posteriormente, seriam (e foram) dizimados; também, sabe-se, por experiência, que há espíritos indignos que aplicam estigmas ou dispositivos de controle, astrais ou mentais, nas pessoas encarnadas. Por outro lado, ais lendas Cristãs que difamam a chamada "Nova Ordem Mundial" foram criadas nos tempos da Roma imperial para retratar os governadores oponentes, muitos dos quais eram opressores. Contanto, é importante destacar que os princípios da "Nova Ordem Mundial" negativa ou estereotipada vão contra a filosofia místico/bruxesca socrática e/ou pitagórica, a qual se fundamenta a Bruxaria


Na Bruxaria, acredita-se que a evolução mágico-espiritual desencadearia a chamada "Era Dourada" ou "Idade de Ouro", um conceito simbólico e com um significado profundo. O Planeta Vênus emana uma luz no alvorecer que, entre as Bruxas, foi chamada de "Estrela da Alva" e tal luz foi personificada como um Filho Divino, "Lucifer" ou "Mitras" (também chamado de Horus/Harpocrates/Abraxas o Eros ou Attis/Adonis/Tammuz ou Phanos/Protogonos/Saoshyant), o filho da Deusa Virgem-Mãe Estelar (Isis/Diana/Rhea). Ainda, conforme os antigos mitos da Bruxaria, o Filho Divino Lucifer é enviado à Terra pelo próprio Deus Cornífero de Sirius à cada era astronômica ou à cada amanhecer ou anopara trazer a luz do Planeta Vênus (e, também, a luz da estrela Sirius), que inclui o progresso, a verdade, o amor e a boa nova. Não obstante, o hierofante Hermes Trismegistos, o filho-irmão de Tubalcain/Hephaistos e Fundador da Bruxaria ou Arte dos Sábios ou Divinos Mistérios, personificado pela Fênix ou pássaro Íbis/Bennu que fora enviada pelo Deus de Sirius e cujo seu símbolo era a "Marca-da-Bruxa" ou pentagrama, encarnara na terra nos tempos da Atlântida ou período magdaleniano da metade da Era de Leão, em dez mil e quinhentos antes da era cristã (10.500 a.e.c.), quando a Constelação de Leão se alinhou simetricamente à visão da egípcia Esfinge Abu-Al-Haul (a Esfinge de Gizé que representa Tubalcain/Hephaistos, o Vigilante anárquico que trouxe o Advento da Era de Leão), o que, por sua vez, no início da Nova Era que aguardamos, a Era de Aquário, as Bruxas e Iniciados celebrarão os treze mil anos da Bruxaria na terra e da Fundação Régia de Hermes Trismegistos que, caracteristicamente, tal revolução proporcionada pelo estabelecimento da instituição da Bruxaria ou Divinos Mistérios pode ser comparada, apenas, à revolução da Boa Nova ou Evangelho de Jesus Cristos e da Era de Peixes; no entanto, a diferença básica entre estes heróis ou santos que estabeleceram religiões é que, diferentemente de Jesus Cristos, Hermes Trismegistos não foi um herói veio para trazer o Advento de uma era astronômica específica, mas, tão-somente, para o despertar da consciência e o desenvolvimento espiritual e apartidário, portanto acima de toda e qualquer religião de massa, porém, a diferença axiomática entre a doutrina de Hermes e a doutrina de Jesus é que, apesar de Jesus também ter sido devoto de Hermes, o Diáctoro (Fênix) ensinou a tomarmos consciência para não sofrermos demasiadamente (obtermos mais prazer) no caminho à perfeição, ao passo que o Cristos (Peixes) ensinou a sofrermos demasiadamente (entregarmos mais à dor) para tomarmos consciência no caminho à perfeição. Assim, tais mitos e crenças pré-cristãs de esperança à Era Dourada, de que ensinou a Bruxaria e as antigas religiões, influenciaram significativamente as mitologias da religião Atonista e, por seguinte, causaram impacto no surgimento do Judaísmo, assim como, mais tarde, em grande parte das religiões pagãs e das religiões mosaico-amarnianas, como é o caso do Cristianismo e do Islamismo. 



_____________________________

Ao benemérito St. Prior J.'.E.'.C.'.S.'.
Pela divindade do Uno, do Deus e da Deusa,
Ao Filho Divino, Vida, Saúde, Força e União!

Três Vezes Abençoado.